BS Festival revoluciona o conhecimento explorando Porto Alegre e focando no futuro

Mais de 1500 participantes foram desafiados a construir conhecimento nos dois dias de BS Festival, realizado nos dias 1 e 2 de setembrono bairro floresta, em Porto Alegre. Foram mais de 100 palestras e atividades, em 12 hubs espalhados pelo quarto distrito, além do Hub da Gastronomia, na Casa Destemperados, trazendo para a pauta assuntos como empreendedorismo, tecnologia, criatividade entre outros. O sábado teve o predomínio de palestras e o domingo foi dedicado aos workshops. Entre as atividades, a Mini Maker Faire, que reuniu mais de 20 invenções criativas; o lançamento do Movimento Setembro Verde, por uma alimentação mais saudável; Ação da 99 e Grow+ que conectou startups a possíveis investidores dentro de carros da 99, andando pelo bairro; o Deu Match!, encontro de startups idealizado pela aceleradora Glow+ e AGS, com a participação de cerca de 50 pessoas; shows, palestrantes internacionais junto a nomes de destaque nacionais e locais, de seis pilares do conhecimento. Além de acessar conhecimento de nomes como Martin Restrepo, Jeff Burton, Nagib Nassif, Jesper Rhode, Sergio Gama, Francisco Milagres, Tatiana Klix e tantos outros, o público conheceu espaços históricos do bairro, sua arquitetura e história. Desde lugares inusitados como o porão da Casa Cultural Tony Petzhold ou Casa de Teatro, até o efervescente Vila Flores e a moderna Fábrica do Futuro.

Para João Ramos, cofundador do Black Sheep Project, a avaliação dessa segunda edição é positiva, com o crescimento em relação ao ano anterior e maior entendimento do público sobre a proposta. “O BS Festival propõe o contraditório o não óbvio. As pessoas não ouviram apenas o que faz parte do repertório delas e é isso que enriquece o debate e o conhecimento. É no momento que tu te permite sair da tua trilha de conhecimento que tu começa a gerar os insights. As pessoas puderam acessar uma palestra sobre a educação do futuro, mercado da cannabis, outra de autoconhecimento, empreendedorismo e outras mais techs. E assim foram construindo seus mosaicos de conhecimento”, avaliou. Ele destaca ainda que mesmo com as atividades externas canceladas, devido a chuva, as pessoas circularam pelo bairro indo de um hub ao outro, conhecendo lugares inusitados e vivendo o evento. João ressalta também o alto índice de informações compartilhadas nas redes sociais pelos participantes. O palestra internacional Jeff Burton, responsável por jogos como The Sims, Need for Speed e Fifa Soccer, falou da mentalidade do Vale do Silício e deixou uma mensagem aos participantes que transmite a essência do BS Festival. “Vim para dividir experiências para que as pessoas possam refletir e abrir a mente para ideias criativas. Isso é empreendedorismo e parte central da responsabilidade de todos. Criar e devolver para a sociedade, compartilhando as criações. Se você está apto a criar você tem que compartilhar”, afirmou. Diante do sucesso, Wayner Bechelli, também cofundador do Black Sheep Project, já confirma a terceira edição do BS Festival para 2019. “Nossa prova de fogo este ano foi fazer um evento em espaços mais livres e abertos e todos os hubs estavam sempre cheios. Sentimos que a cidade e o público realmente abraçou o BS e já estamos pensando na próxima edição ainda mais incrível”, adiantou.

Hub Gastronomia conectou mercado com pessoas

Com o intuito de conectar todas as pontas do mercado da gastronomia é que a startup Cozinhe.me fez a curadoria do Hub de Gastronomia do BS Festival, no domingo, 2, na Casa Destemperados. Durante todo o dia público teve acesso a experiências com azeite de oliva, espumante, vinhos, aprenderam a fazer queijo, massa artesanal, tiveram palestra sobre empreendedorismo e feira para conectar produtores locais. Paulo Renato Ardenghi Rizzardi, curador do BS Festival e fundador do Cozinhe.me, destaca que o foco foi investir na experiência. “Conectar o ecossistema da alimentação com as pessoas no centro foi o grande objetivo. Enquanto em alguns outros mercados o investimento é na tecnologia, que muitas vezes dispensa o humano do processo, na gastronomia é ao contrario. Acreditamos que o futuro da alimentação é local, que tu vai saber quem vai produzir a tua comida. Tu não vai enxergar apenas o supermercado como uma fonte de alimento. Nesse contexto, a gastronomia pode servir de inspiração para uma serie de negócios”,

 

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

70 + = 75

Pin It on Pinterest