Grupo Porto Alegre Consort e cantores solistas convidados apresentam Especial de Páscoa

A Páscoa é uma data de suma importância, principalmente para o calendário Cristão, e para celebrar este importante evento, o Grupo Instrumental e Vocal Porto Alegre Consort, realizará a Paixão Segundo São João de Johann Sebastian Bach, obra que reproduz os capítulos 18 e 19 do Evangelho São João, com textos citados em toda estrutura da obra. A regência é do Maestro Diego Schuck Biasibetti e a preparação vocal de Gisa Volkmann. Formado por cerca de 50 integrantes distribuídos em orquestra, coro e solistas cantores convidados, o Porto Alegre Consort, propôs por iniciativa independente a realização de concertos dedicados às obras de Bach e de outros compositores que trazem as características peculiares da música antiga. O grupo surgiu em 2017 a partir do projeto “Bach, natürlich!”, que atua com essas particularidades. Nasceu da parceria entre o grupo de músicos instrumentistas e o Coral Porto Alegre, existente desde 1966.

O Porto Alegre Consort é coordenado pela professora Gisa Volkmann e dirigido pelo maestro Diego Schuck Biasibetti, idealizador do projeto. Para a execução da Paixão Segundo São João, o grupo traz como solistas cantores convidados: Andiara Mumbach – Soprano (RS); Victor Lucas Bento – Contratenor (PR); Rafael Oliveira -Tenor como “Evangelista” (PR); Ricardo Barpp – Baixo como “Jesus” (RS) e Eduardo Linn – Baixo como “Pilatos”, que representam as figuras centrais da obra. O concerto é uma realização do Porto Alegre Consort, tem apoio da AtmosFERA Produções Culturais e Audiovisuais, da Comunidade Evangélica Luterana Da Cruz de Porto Alegre e da Gráfica JB Eber Hardt. Os ingressos e podem ser adquiridos com antecedência pelo WhatsApp: 54 9 99987307 ou 2 horas antes dos concertos, nos locais.

Serviço:

O que: Concerto Especial de Páscoa – Paixão Segundo São João de Johann Sebastian Bach

Quando: 13.04.2019 – sábado

Hora: 19h30min

Local:  Comunidade Evangélica de Confissão Luterana São Lucas de Porto Alegre 

Rua Luiz Voelcker, 285. Três Figueiras, Porto Alegre

Ingressos: R$ 50,00 (inteira) R$ 25,00 (seniors e estudantes)

Contato: fone/ whatsapp: (54) 9 99987307 – Ester Chaves

 

Serviço:

O que: Concerto Especial de Páscoa – Paixão Segundo São João de Johann Sebastian Bach

Quando: 14.04.2019 – domingo

Hora: 19 horas

Local:  Igreja de Cristo (Igreja do Relógio)

R: Marquês do Herval, 480 – Centro – São Leopoldo /RS

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) R$ 20,00 (seniors e estudantes)

Contatos: fone/ whatsapp: (54) 9 99987307 – Ester Chaves

(51) 99917-7885 – Gisa Wolkmann

 

Sobre a obra, por Udo Hörl – integrante do Porto Alegre Consort

“Passio secundum Johannem”

“Johannes-Passion”

Paixão Segundo São João

A peça estreou em 1724 na cidade Leipzig sendo parte do serviço na sexta-feira santa na Nikolaikirche (Igreja de São Nicolau). Partes da obra foram compostas anteriormente. A “Johannes-Passion” foi apresentada novamente na vida do compositor várias vezes em diferentes versões. Esse seria um verdadeiro exemplo do que significa “work in progress”. A apresentação da história do sofrimento e da morte de Jesus em forma dramática já era na época de longa tradição. No final do Séc. XVII os compositores criaram o estilo “paixão oratória” para o qual eles usaram dispositivos estilísticos da ópera.

Na obra de Bach três elementos são claramente diferenciados: o relato bíblico, os corais e a poesia livre. A história é apresentada com papéis distribuídos. A fé da comunidade cristã se manifesta nos corais. As árias são reflexivos comentários individuais. Na narrativa as figuras centrais são: Jesus, Pilatos, o evangelista (quem conta a história) e, acima de tudo, o povo. Para os corais o compositor usou melodias e letras bem conhecidas daquela época. Uma perfeita dramaturgia para estimular pensamentos meditativos. As reflexões em forma de ária possuem características extremamente contraditórias. São expressas aqui emoções humanas completamente opostas, como a raiva e o amor por exemplo. A intenção de Bach não é harmonização. Ele confronta a si mesmo e a nós ouvintes com a dureza da realidade através da cor escura do discurso musical.

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 1 = 9

Pin It on Pinterest