MUHM apresenta exposição sobre a segunda médica a atuar no RGS

A trajetória da segunda mulher a exercer a Medicina no Rio Grande do Sul pode ser conferida a partir deste dia  8 de março, Dia Internacional da Mulher, no Museu da História de Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM). Formada na UFRGS em 1917, Noemy Valle da Rocha fez história por sua dedicação à Medicina, seu trabalho intelectual, suas lutas pelos direitos das mulheres e sua vivência no contexto social e cultural de sua época.   Como muitas mulheres do seu tempo, Noemy casou-se jovem, adiando a busca pelo diploma de Medicina.  Após dois anos, ficou viúva, o que possibilitou que ingressasse na faculdade e se tornasse a segunda a mulher a cursar Medicina na UFRGS, atrás apenas de Alice Mäeffer – cuja trajetória, como médica, é desconhecida. Para se sustentar, Noemy dava aulas particulares de português, francês, alemão, aritmética, álgebra, geometria, desenho linear e de paisagem e de violino. Ao concluir o curso, foi a única mulher a atuar no combate à epidemia de gripe espanhola, em 1918, atendendo gratuitamente a população carente de Porto Alegre.

A obstetra Noemy também foi brilhante na defesa dos direitos das mulheres e na literatura. Na Federação Brasileira para o Progresso Feminino (FBPF), lutou a favor do voto feminino, pela educação da mulher, proteção à mãe e à família e pelo sufrágio e progresso feminino. Em 1948, ingressou na Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul (ALFRS), da qual foi presidente por dois biênios (1955-56 e 1957-58).  Sua paixão pela literatura foi tanta que fez de sua residência, em 1973, sede da academia, quando ela passou a morar em um internato em São Leopoldo. Publicou três livros: “Reflexos D´alma” – contos inspirados na experiência médica e pesquisa em folclore; “Conceitos gerais sobre Folclore” e “Quatro perfis Literários”, ensaio bibliográfico sobre mulheres ligadas a ALFRS.  Para divulgar a cultura e o folclore, a médica apostou na transmissão em emissoras do interior do Estado. Com notícias redigidas por ela, o programa “Sempre mais acima, sempre mais além” era veiculado com grande audiência em rádios de São Luiz Gonzaga, Santiago, Júlio de Castilhos, Bagé, Uruguaiana e Pelotas. Sepultada no Cemitério da Santa Casa de Misericórdia, Noemy faleceu em 1978, deixando uma filha adotiva.

Além da exposição “Trajetória da Dra Noemy Valle Rocha e Dra Baronesa Von Bassewitz: o pioneirismo da mulher da medicina”, o MUHM, cujo mantenedor é o Simers (Sindicato Médico do RS), realiza no mesmo dia a apresentação do livro “Casa de Noemy Valle Rocha: História e Memória da ALFRS”, com bate-papo com a autora Teniza Spinello, que revela detalhes da vida de Noemy.

SERVIÇO:

 

Local: Museu da História de Medicina (MUHM) – Av. Independência 270 – Centro – Porto Alegre.

Entrada: Gratuita

Realização: MUHM, em parceria com a ALFRS

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

83 − = 73

Pin It on Pinterest