Orquestra Unisinos Anchieta abre a temporada 2018 com Concerto Brasil|França

Com a celebração dos 100 anos da morte de Debussy e canções francesas interpretadas pelas premiadas Melina Vaz e Débora Neto.

NA FOTO – Melina Vaz – Crédito: Daniel Andrade

A série Magis leva os concertos a São Leopoldo, no dia 20.03, terça-feira, no Anfiteatro Padre Werner, e a Porto Alegre, no dia 21.03, quarta-feira, no Teatro Unisinos. As duas apresentações tem início às 20 horas. A entrada é franca, com retirada antecipada de senhas.

Sob a regência do Maestro Evandro Matté, a Orquestra Unisinos Anchieta traz o charme e elegância da França para os palcos do Estado. O concerto que tem o apoio da Aliança Francesa apresenta um repertório que inicia com Maurice Ravel, segue com Claire de Lune, que foi uma das composições clássicas mais belas e executadas em todo mundo. Composta em 1905, como parte da Suíte Bergamasca, Clair de Lune imortalizou seu criador, o francês Claude Debussy, e tornou-se um dos maiores ícones da música erudita de todos os tempos. O concerto segue com a interpretação de canções francesas como Dans ma rue; Les copains Dabord; Non, Je Ne Regrette Rien; Tu Sais Je Vais T’aimer, entre outras, nas vozes das populares e premiadas Melina Vaz e Débora Neto.

Os concertos têm o patrocínio das empresas: Stihl, Itaú, Gedore, In Betta e conta com apoios de: Borex, Unique, HSS Informática, Impressos Portão e Aliança Francesa.  Lei de Incentivo à Cultura – realização Governo Federal Ordem e Progresso.  O Anfiteatro Padre Werner localiza-se à Av. Unisinos, 950 – São Leopoldo – RS e o Teatro Unisinos na Av. Nilo Peçanha, 1640 – Porto Alegre – RS.

RETIRADA DE SENHAS:

  • Para o Concerto em São Leopoldo: as senhas podem ser retiradas a partir do dia14.03 no Sesc/SL.
  • Para o Concerto em Porto Alegre a retirada das senhas será a partir das 12h do dia 21.03 no Teatro Unisinos

SERVIÇO:

O quê: Concerto Série Magis – Orquestra Unisinos Anchieta – Concerto Brasil | França

Quando: 20.03 – terça-feira – 21.03 – quarta-feira – às 20 horas

Onde: 20.03 – Anfiteatro Padre Werner (Av. Unisinos, 950 – São Leopoldo – RS)

21.03 – Teatro Unisinos (Av. Nilo Peçanha, 1640 – Porto Alegre – RS)

Informações gerais: (51) 3590 8228

ENTRADA FRANCA com retirada de senha

Saiba mais:

Claude Debussy nasceu em Saint Germain em Laye no dia 22 de agosto de 1862 e faleceu em Paris em 25 de março de 1918 vítima de um câncer.

Clair de Lune, uma das composições clássicas mais belas e executadas em todo mundo foi composta em 1905, como parte da Suíte Bergamasca. Clair de Lune imortalizou seu criador, o francês Claude Debussy, e tornou-se um dos maiores ícones da música erudita em todo mundo.

Para chegar a compor sua grande obra, Claude Debussy superou inúmeras barreiras. Em 1862, quando nasceu, sua família passava por dificuldades. Filho de um pequeno comerciante de Saint Germane en Laye, teve uma infância humilde. O destino levou Debussy a ser um dos compositores mais executados em toda França e ser incluído como um dos expoentes do movimento impressionista. Sua obra converteu-se na precursora da música moderna e o elevou ao status de um dos mais importantes compositores do final do século 19 e começo do 20. O genial Debussy apresentou a partitura de Clair de Lune em 1905. Sua inspiração teria vindo de um momento de extrema solidão, na sacada de um prédio, ao ver o clarão da Lua cheia sobre a capital francesa. Essa é apenas uma das várias histórias que cercam a vida deste músico e, no entanto, nunca confirmada. Depois de se escutar Clair de Lune se tem a certeza de que a música pode se transformar numa imensa e celestial pintura. Num retrato impressionista e único do espetáculo da natureza, que sem custar uma só moeda a ninguém, é derramado diariamente pelo Universo sobre a Terra. Mais que uma tradução, Debussy comprovou que a alegria se confunde com a euforia assim como a felicidade se aproxima de uma cândida tristeza.

Trechos extraído do texto do jornalista Júlio Ottoboni para o Jornal Tribuna – PR.

Orquestra Unisinos Anchieta 

Fundada em 1996, pelo Maestro José Pedro Boéssio, a Orquestra Unisinos Anchieta realiza uma programação artística diversificada, atendendo a diferentes perfis de público, buscando a renovação de ideias, abordagens e leituras, além de promover associações inesperadas pela música de concerto, contemporânea e popular. A proposta, além da simples oferta de apresentação da orquestra, objetiva garantir o acesso não apenas à música de concerto, mas a outras linguagens vinculadas às raízes musicais brasileiras e ao repertório de importantes compositores populares. Vencedora do Prêmio Açorianos de Música em 2005, a orquestra entrega ao público o diferencial de espetáculos com inclusão de outras linguagens cênicas, tais como, teatro, dança e artes plásticas. Importantes concertistas e músicos de distintos estilos atuaram com a orquestra, entre eles: Altamiro Carrilho, Emmanuele Baldini, Fred Mills, Kleiton & Kledir, Pierre Dutot, Renato Borghetti, Yang Liu, entre outros. Nos últimos anos, a Orquestra Unisinos Anchieta tem apresentado diferentes séries de concerto, com destaque para as óperas Il Campanello di Notte e Rita (Donizetti) e Bastien Bastienne (Mozart). A direção artística e regência da orquestra estão sob a responsabilidade do maestro Evandro Matté.

Maestro Evandro Matté

Regente, diretor artístico e maestro da Orquestra Unisinos Anchieta; diretor artístico e maestro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre – RS (Ospa) e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas; Realizou sua formação musical na Universidade Federal do RS, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Trompetista da Ospa desde 1990, é também coordenador cultural da UNISINOS (Universidade do Vale do Rio dos Sinos).  Esteve à frente de orquestras do Uruguai, EUA, Argentina, França, China, República Checa e Alemanha. É coordenador do projeto social Vida com Arte, que atende 250 crianças, proporcionando inclusão social através da música. É pós-graduado em Gestão Empresarial.

Débora Neto

A cantora gaúcha Débora Neto, de 21 anos, estuda música desde os 2 e começou a cantar profissionalmente aos 7 anos de idade. Em 2003 foi convidada a gravar o CD “Um Natal em Família” com Isabela Fogaça, dando origem a um espetáculo musical que durou 11 anos, com apresentações em diversos Estados. Em 2012, participou do Reality Show Ídolos, da Rede Record, ficando entre os 20 melhores cantores do RS e 60 melhores do Brasil. Cantou no Copacabana Palace, no RJ, abrindo um show do cantor Ed Motta e também no Hotel/Cassino Conrad, em Punta Del Este. Em 2016 ficou em 2º lugar na categoria universitária do Festival Canto Livre e também foi vice-campeã do Festival da Canção Francesa. Em 2017 foi solista da Orquestra Unisinos Anchieta em diversos espetáculos, como Clássicos do Jazz, do Festival Internacional de Música de Pelotas, e Concerto Comunitário de Natal Zaffari, apresentando-se, na ocasião, para 35 mil pessoas. Atualmente, além de cantora, é formada em jornalismo, dubladora e integra o grupo acappella Voice In, que já contabiliza mais de 15 milhões de visualizações em seus vídeos, além de aparições na TV nacional e regional.

Melina Vaz

Cantora porto alegrense de 24 anos, começou sua carreira profissional interpretando os sucessos de Amy Winehouse em um tributo que até hoje lota casas por onde passa. Em 2016, convidou o pianista Ras Vicente para a acompanhar em um projeto, que foi batizado de “Divas do Jazz”, sendo sua porta de entrada na cena jazz gaúcha. Em 2017, a dupla se tornou quarteto com a adição do baixista Rodrigo Arnold e baterista Martin Estevez que também integram a Kula Jazz, banda referência do estilo na região sul do país. No mesmo ano, a cantora conquistou o primeiro lugar na edição regional e terceiro lugar na edição nacional do Festival da Canção Francesa. Em 2018, inicia sua conexão POA – SP, expandindo assim, seu trabalho na cena jazz nacional.

 

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

84 − 76 =

Pin It on Pinterest