Reunião esclarece sobre uso das faixas exclusivas

 Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) realizou no ultimo dia  25, reunião com taxistas para informar quanto a liberação do tráfego dos táxis em todas as faixas exclusivas da cidade, com exceção das faixas da avenida Cristóvão Colombo e do sentido bairro-Centro na avenida Independência (que ficam no contrafluxo). A circulação começou na segunda (28), e vai durar alguns meses, para teste e avaliação. A medida, que estava em análise na EPTC, foi determinada pelo prefeito após a primeira semana de implantação e adaptação dos motoristas às faixas exclusivas para ônibus das avenidas Independência e Mostardeiro.  “Foi um encontro produtivo em que explicamos aos taxistas a importância das faixas para o transporte público como um todo e para que haja um bom uso deste benefício por parte da categoria”, afirma Rodrigo Tortoriello, secretário extraordinário de Mobilidade Urbana, após conversar com os taxistas.

Durante a reunião, além de esclarecer as dúvidas sobre a utilização das faixas exclusivas, foi destacado o momento atual em que os transportes públicos têm prioridade na gestão da Prefeitura de Porto Alegre e os resultados da nova Lei Geral do Táxi 12.420/2018, que qualificou o serviço de transporte individual de passageiros na Capital. “A diminuição do número de taxistas, a princípio, pode ter sido vista como prejudicial, mas logo foi reconhecida como uma melhoria, pois selecionou e qualificou o serviço”, explica o gerente de Fiscalização e Transporte da EPTC, Luciano Souto, à categoria. Em 2014, Porto Alegre contava com 10 mil condutores cadastrados. Hoje, são 6.305 – uma redução de 37% nos últimos cinco anos. Os representantes da Associação dos Permissionários Autônomos de Táxi em Porto Alegre (Aspertaxi), Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), Associação dos Taxistas Auxiliares de Porto Alegre (Asstaxi), e supervisores de diversos pontos de táxi da cidade aproveitaram para se informar sobre como devem utilizar as duas tabelas de conversão para adequar o taxímetro ao horário vigente do país e sobre a Taxa de Gerenciamento Operacional (TGO) que está em vigor e que deve ser mantida em dia.

A taxista Andreia Terres, condutora do ponto de táxi da Rodoviária, onde existem 376 prefixos cadastrados, destacou a importância da empatia com o passageiro, boa educação e higiene do veículo para fidelizar clientes e recuperar passageiros perdidos para a concorrência do transporte por aplicativos. E mostrou a mensagem de um passageiro com elogios em relação à atenção e limpeza do veículo. “O passageiro pode até estar mal humorado, mas eu recolho as pedras e ofereço uma flor”, afirma Terres, que representa as mulheres taxistas da Capital.  Para Marcos Nunes, supervisor do ponto de táxi do Aeroporto Internacional Salgado Filho, com 217 prefixos cadastrados, é momento de agradecer o incentivo da prefeitura ao transporte público. Com mais agilidade nas viagens e uma diminuição no tempo de deslocamento dos clientes, é possível reduzir o consumo de combustíveis, a emissão de poluentes e tornar o serviço mais atraente a novos passageiros. “O pior momento para o táxi em Porto Alegre já passou. É hora de recuperar o que perdemos para o transporte por aplicativo”, destaca Santos.

Faixas Exclusivas

Já existentes – Júlio de Castilhos, Voluntários da Pátria, Cavalhada, Nonoai, Brasil, Bento Gonçalves, Assis Brasil, Icaraí, Ipiranga, Rodoviária (Rua da Conceição), Independência e Mostardeiro.

Que serão implantadas até março – Goethe, Conceição – Bairro/Centro, Conceição Centro/Bairro, Mauá, João Goulart, Loureiro da Silva – sentido túnel, Paulo Gama/Eng. Luiz Englert, Siqueira Campos, Ipiranga Bairro/Centro 2 (Antônio de Carvalho até Barão do Amazonas), Ipiranga Bairro/Centro 3 (Barão do Amazonas até João Pessoa), Silva Só, Azenha, 24 de Outubro e Plínio Brasil Milano Bairro/Centro.

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

53 + = 57

Pin It on Pinterest