Um espetáculo, duas óperas, três maestros

Rompendo um hiato de sete anos sem montar nenhuma ópera, a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro volta a visitar o gênero operístico em um programa duplo. As óperas Il Maestro di Cappella de Domenico Cimarosa (1749 – 1801) e Il Maestro di Musica de Giovanni Battista Pergolesi (1710 – 1736) serão apresentadas juntas em um programa dedicado à tradição da ópera buffa italiana do século XVIII. A regência é de Evandro Matté e a direção do tenor Flávio Leite. Os solistas convidados são as sopranos Raquel Fortes e Elisa Lopes, o tenor Flávio Leite e o Baixo barítono – Daniel Germano.

O espetáculo tem duas datas no Theatro São Pedro, dias 05 e 06 de outubro, sábado e domingo. No dia 05, tem início às 20 horas e no dia 06, às 18 horas. Os ingressos estão disponíveis e podem ser adquiridos antecipadamente na bilheteria ou online pelo site do Teatro.

Sobre o espetáculo

A primeira parte do espetáculo será o monólogo Il Maestro di Cappella de Cimarosa, onde o Maestro e único personagem deste intermezzo cômico interpretado pelo baixo barítono Daniel Germano ensaia com sua orquestra e deixa aflorar toda a vaidade de quem acha que sabe tudo e, falando sem parar, faz de si mesmo um retrato bastante caricato do que nos nossos dias chamamos de um regente de orquestra. De autoria desconhecida, o texto da ópera é um prato cheio para que o solista brinque com as diversas intervenções instrumentais e é um veículo didático e lúdico para a introdução do público ao mundo dos instrumentos, escrita orquestral e da ópera.

Na segunda parte será apresentada a ópera Il Maestro di Musica atribuída à Pergolesi, apesar de alguns musicólogos questionarem a autoria do compositor veneziano. A história se passa na casa de Lamberto, um respeitado professor de música e canto, interpretado pelo tenor Flávio Leite. Lauretta, uma de suas alunas não muito aplicadas, interpretada pela soprano Raquel Fortes, explica ao exigente professor que já se acha pronta para a carreira profissional como cantora lírica, contrariando os conselhos do professor que, por sua vez, sente-se atraído pela aluna. Entra em cena o empresário e agente artístico Colagianni, vivido pelo baixo barítono Daniel Germano, que chega à casa de Lamberto querendo contratar uma cantora e encanta-se com Lauretta antes mesmo de ouvi-la cantar. Lamberto convida o agente para uma audição de suas alunas mais tarde no mesmo dia onde poderá avaliá-las de maneira mais profissional. Neste ambiente de audição surge a cômica rivalidade entre Lauretta e Dorina, outra aluna do professor, interpretada pela soprano Elisa Lopes. Lauretta, usando de todo seu charme, acaba por convencer o empresário a incluir uma cláusula em seu contrato de agenciamento que inclua levar Lamberto como seu maestro exclusivo em todas as suas apresentações.

A duração do espetáculo que será legendado em português será de aproximadamente duas horas já incluindo um intervalo. A série oficial de Concertos da OCTSP é financiada pela Lei de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio master do Banrisul, patrocínio da Gerdau, Calçados Beira Rio e CVI Refrigerantes.  Apoio das empresas Stihl e In Betta. A realização é da Associação Pró-Música de Porto Alegre. Ministério da Cidadania – Secretaria Especial de Cultura e Governo Federal – Pátria Amada Brasil.

SERVIÇO

O quê: Óperas Il Maestro di Cappella de Domenico Cimarosa (1749 – 1801) e Il Maestro di Musica de Giovanni Battista Pergolesi (1710 – 1736)

Regência: Evandro Matté

Direção: Flavio Leite

Solistas

Raquel Fortes – soprano como Lauretta

Elisa Lopes – soprano como Dorina

Flavio Leite – tenor como Lamberto

Daniel Germano – baixo barítono como Maestro na primeira parte e como Colagianni na segunda parte do espetáculo

Quando: 05 e 06 de outubro de 2019 – sábado e domingo

Hora: 05.10 – 20 horas | 06.10 – 18 horas

Onde: Theatro São Pedro – Praça Mal. Deodoro, s/n – Centro Histórico – Porto Alegre – RS

Informações sobre o evento: (51) 3226 2005

Fanpage: @octsp | Instagram: octspoficial

Evento:  http://bit.ly/2mkOe8t

Site: www.orquestratsp.com.br/

Ingressos:

Plateia: R$ 80,00

Cam. central: R$ 50,00

Lateral: R$ 40,00

Galeria: R$ 20,00

*descontos de meia entrada previstos em lei para até 40% da capacidade do local.

 Saiba mais

Maestro

Evandro Matté 

É diretor artístico e maestro da Orquestra de Câmara Theatro São Pedro – OCTSP, da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre – OSPA, e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas (RS – Brasil). Realizou sua formação musical na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (França). Trompetista da Ospa desde 1990, é também pós-graduado em Gestão Empresarial. Esteve à frente de orquestras do Uruguai, Argentina, Itália, China, República Checa, EUA e Alemanha.

 Orquestra de Câmara Theatro São Pedro – OCTSP:

Foi criada em 1985 e, desde então, tem sido mantida com apoio da iniciativa privada e por um conjunto de associados. Originalidade, ousadia e inovação são atributos perseguidos no dia-a-dia da orquestra, sempre com o compromisso de honrar a importância e a história do Theatro São Pedro. A programação abrangente traz obras do repertório histórico, da música contemporânea e da música popular brasileira. A OCTSP apresenta três séries de concertos: Concertos Oficiais, Concertos Banrisul para Juventude e Concertos Populares. A criatividade e a originalidade estão presentes em todos os concertos, assim como o ineditismo das audições, com solistas de reconhecimento internacional. A OCTSP tem como diretor artístico e Maestro principal Evandro Matté e como regente assistente André Munnari.

Solistas:

Flávio Leite – Tenor e Diretor Cênico:

Presença frequente nas temporadas dos principais palcos nacionais, Flávio Leite tem se firmado como um dos mais atuantes e versáteis cantores líricos brasileiros de sua geração.

Acumula experiência em óperas que vão desde Il Combattimento di Tancredi e Clorinda de Monteverdi à Lulu de Alban Berg. Já foi Pylade em Iphigenie en Tauride, Jaquino em Fidelio, Tamino em A Flauta Mágica, Ferrando em Così Fan Tutte, Don Ottavio em Don Giovanni, Conde Almaviva em O Barbeiro de Sevilha, Don Ramiro em Cenerentola, Tonio em La Fille du Regiment, Beppe em Rita, Camille em A Viúva Alegre, Pong em Turandot, Mozart em Mozart e Salieri, Chevalier de la Force em Diálogo das Carmelitas, Professor em A Raposinha Astuta, Edrisi em Rei Roger, Anatol em Vanessa entre outros, acumulando 53 personagens em 8 idiomas diferentes já em repertório, desenvolvidos em 17 anos de carreira profissional. Com especial atenção às óperas de compositores brasileiros contemporâneos, nos últimos anos fez as estréias mundiais das óperas Dulcinéia e Trancoso e a Ópera do Mambembe Encantado de Eli-Eri Moura, O Menino e a Liberdade de Ronaldo Miranda, O Perigo da Arte de Tim Rescala, O Diletante de João Guilherme Ripper, O Quatrilho de Vagner Cunha e participou da premiada versão moderna da última ópera de Villa-Lobos, A Menina das Nuvens.

Desenvolve ainda ampla atividade como camerista e solista em oratórios e obras sinfônicas como Magnificat, Cantata do Café e Oratório de Natal de Bach, Messias de Händel, A Criação de Haydn, Requiem de Mozart e de José Maurício Nunes Garcia, Nona Sinfonia e Fantasia Coral de Beethoven, Stabat Mater e Petite Messe Solennelle de Rossini, Messa di Gloria de Puccini, Carmina Burana de Orff e Le Roi David de Honegger com os principais regentes e orquestras brasileiras. Flávio Leite é pós-graduado pelo Conservatório Superior del Liceu, em Barcelona e Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Daniel Germano – Barítono

Especializado em canto lírico pelo Conservatório A. Buzzola, de Adria (Itália), o baixo-barítono iniciou seus estudos de canto com o professor Decápolis de Andrade, tendo sido orientado posteriormente por Gisa Volkmann. Em 2018, debutou como Samuel em Un Ballo in Maschera no TMRJ; foi Conde Danilo em A Viúva Alegre (Lèhar) no TSP de Porto Alegre, Massimo na estreia mundial da ópera O Quatrilho (Vagner Cunha), Alfio em Cavalleria Rusticana (Mascagni) e Simèon em L’enfant Prodigue (Debussy). Em 2017, estreou como Escamillo, em Carmen (Bizet), no TMRJ, e Leporello, em Don Giovanni, com a OSPA. Seu debut europeu foi em 2012 como Don Basílio nas montagens de “O Barbeiro de Sevilha” em Bologna e Parma. Tem, ainda, em seu currículo, atuações em títulos como “Tosca”, de Puccini, “Romeo et Juliette”, de Gounod, “Salomé”, de Strauss e “Cosi Fan Tutte”, de Mozart, além de um vasto repertório de concerto, como as Missas de Requiem de Mozart, Verdi, Fauré, Duruflè e Brahms; Magnificat e Paixão Segundo São João, de Bach: IX Sinfonia de Beethoven, outras.

Raquel Fortes – Soprano

Raquel Fortes é soprano coloratura filha de gaúcho, é natural de Belém do Pará. Formada em Canto Lírico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, iniciou seus estudos musicais na Fundação Carlos Gomes em sua cidade natal. Já em Porto Alegre foi aluna de flauta transversal no Conservatório Pablo Komlós e como integrante do Coro da OSPA apaixonou-se pelo canto. Na UFRGS integrou os elencos das óperas Dido e Eneias de Purcell e Orfeu de Monteverdi. Junto a classe de jovens cantores do Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo atuou como Primeira Dama e Rainha da Noite na ópera Flauta Mágica de Mozart. Interpretou Lauretta na ópera Il Maestro di Musica de Pergolesi com a Orquestra Unisinos Anchieta, e no projeto Terças Líricas foi a Madame Herz do singspiel O Empresário de Mozart. Em seu trabalho mais recente interpretou o Amor na ópera Orfeu e Euridice de Gluck junto a OSPA.

Elisa Lopes – Soprano

Iniciou sua carreira em 2004 ao ingressar no Coro da OSPA. Em 2006 estudou no Conservatório Pablo Komlós. Estreou como solista com a OSPA com “Serenade to Music”, de Williams.  Participou das óperas “La Traviata” de Verdi como Flora (2006) e “Cavalleria Rusticana” de Mascagn, como Lola (2012) com regência de Tulio Belardi e Enrique Ricci, respectivamente. Cantou a “Missa da Coroação” de Mozart com a Orquestra Sinfônica da UCS. Participou das óperas de bolso “La Traviata” de Verdi (Flora e Annina), “L’Elisir d’Amore” de Donizetti (Gianetta). Atuou no papel de Belinda em “Dido & Aeneas” de Purcell  no Instituto de Artes da UFRGS. Em 2007 e 2010 participou da Oficina de Música de Curitiba, com Neyde Thomas e Rio Novello e em 2011 e 2013 do I e III Festival Internacional SESC de Música (Pelotas), com Lício Bruno (RJ), Luisa Gianinni (Itália) e Juremir Vieira (Suíça/Brasil). Em 2011concluiu a graduação em música (bacharelado em canto) pela UFRGS, sob a orientação de Caroline Abreu. Em 2013 participou de dois dos módulos da Academia de Ópera do Theatro São Pedro de São Paulo, com orientação de Carlos Morejano e Luisa Gianinni.

Fotos –  Leandro Rodrigues/Divulgação

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

27 − 21 =

Pin It on Pinterest